O Fogo de Hefesto

16-09-2016 04:43

Numa singularidade de momentos convergem em ti a força de mil almas, mil vidas, milhões de estrelas todas presas no infinito do teu olhar.

Num momento desabam em ti memórias do que nunca foste como se sentisses as muralhas de Jericó desabarem em teus ombros com a força imensa da gota de chuva a cair num oceano.

Como se fosse o espírito de um velho conhecido...sentes em ti o vazio preenchido quando reúno em ti a concordância entre corpo e alma.

Com a força de mil tempestades agarro-te a alma como que se tivesse o fogo de Hefesto na palma da minha mão

E entregas-te e rendes-te... como um beijo se entrega à derrota ,quando sentes de meus lábios o afastar depois do beijo

Sentes em ti o meu espírito te sussurrar ao ouvido como se fosse a de um velho amante a te falar palavras tão familiares e íntimas como o respirar da tua boca

Te procurei por mil vidas sem nunca te acolher no meu peito jamais

Como o que nos separou nos trouxe de volta como uma mensagem numa garrafa que volta de novo a margem depois de anos perdida no mar

E é num momento... numa singularidade de sentidos que vacilas entre o real e o sonho... Entre o céu e a terra.. Entre a razão e a paixão... Entre o sabor da carne e o sabor do sentimento.

Num limbo de pensamentos acordas dentro do teu sonho e apaixonas-te pela vida que se perdeu sem nunca tu a viveres, como o sabor escuro da tempestade na tua boca se desfez com a aurora do acordar.


Sonha e vive... 
. Porque o sabor da vida só se alcança à medida que os teus sonhos se materializam em esperança... Quando o chão a teus pés se faz caminhando... Como o poeta persegue a letra, o escuro persegue o dia, o marinheiro persegue a margem...

Pois será noutra vida... Noutro espaço.. Noutro mundo... Que Te encontrarei ....tal como a faisca encontra o fogo... O teu.. O meu.... O Fogo de Hefesto