Pecados e Paixoes

09-07-2012 05:03

Paixões efémeras que um amanha ilumina em forma de luz brilhante reprimida pelo escuro negro agreste e frio dos segundos a passarem como uma valsa dançada á velocidade de uma parábola interminável.

Pecados negados em que o corpo pede e grita alto por vivê-los em quentes e húmidas sensações da paixão no seu estado puro e cru em que o pecado impera.

Paixão aquela que louca e cega não vê nem quer ver o que passa lá fora em que os corpos quentes de manipulam em deslizantes e inebriantes movimentos sequiosos de luxúria.

Pecado que queima e arde, que rompe e resvala em movimentos ébrios de luxúria em que dois corpos quentes se entregam ao doce pecado do prazer

Paixão aquela que te consome por dentro e sentes te deslizar até concretizares e saciares o que o teu corpo pede e grita embora reprimido por uma cega consciência que não te deixa libertar a fera negra que existe dentro de ti.

Redundante aquele olhar de aquele estranho que meigo e ordinário te fez querer… te fez querer quebrar as correntes que seguram a fera que tens dentro de ti.

Essa fera que está sôfrega da luxúria do corpo quando sentiu o primeiro toque….quando sentiu o toque das mãos naquelas pernas…que te fez subir por elas dedos de uma mão estranha mas tão familiar como tantas outras mais.

Paixão, aquela cega e profana que te faz viajar a locais sombrios da tua mente em que te assolam fantasias pecaminosas em locais proibidos e nefastos.

Paixão aquele louco fascínio pelo pecado em que te transformas e te materializas quando provas o sabor acre do corpo por ti ansiado…e deliciaste no prazer do pecado.

Lentamente se entrega a alma á fera que há em ti e lentamente a fera consome o censo e materializa-se naquilo que o aspecto carnal anseia desde que houve o primeiro impacto do olhar …a fera toma conta do anjo…ou o pecado toma conta da paixão.